.

.
Dálmatas e Chinese Crested Dog

terça-feira, 16 de abril de 2019

ADULTO OU FILHOTE ? QUAL A MELHOR OPÇÃO ?



Que filhotes são fofinhos e atrativos isso é um fato inegável. Mas será que um filhote é sempre a melhor opção ?
Eu sempre defendi a idéia de que adotar ou comprar deve ser uma opção a ser respeitada por todos. Existem canis sérios e querer um cão com características específicas deve ser uma opção que cabe ao futuro dono decidir.
Neste post a intenção não é sair julgando ninguém e sim mostrar as vantagens e desvantagens de se adquirir um filhote mais velho (com mais de 6 meses) ou mesmo um cão adulto (com mais de 1,5 anos de idade).

Eu por várias vezes tentei defender a idéia de que cães adultos são tão  maravilhosos quanto cães filhotes  mas fui repreendida sob o seguinte argumento "você é veterinária, entende de cachorro, para você qualquer coisa é fácil, mas para um leigo tem que ser filhote."
No que se refere aos cães de guarda e de temperamento mais forte ou agressivo, concordo que talvez seja mais dificil de se controlar mas no geral achei que tal afirmativa não fazia sentido pra mim.
Fiquei pensando sobre o assunto e resolvi fazer uma pesquisa  focando apenas pessoas comuns (que não trabalhem com cães).

Achei tal argumento absurdo e pedi a algumas pessoas que decidiram adquirir um cão já adulto que contassem um pouco da historia delas e confesso que chorei de emoção com alguns relatos.
Espero com isso, levar todos a repensarem conceitos (ou melhor pré-conceitos)

RELATO 1 – DANILO - EMPRESARIO
Olá boa tarde a todos...para ajudar alguns futuros interessados em adotar cães adultos, resolvi fazer esse post.Um pouco longo, mais julgo muito importante!!!!
Eu tinha tinha 2 filhos de bolinhas, no qual eram parte da minha vida... Infelizmente por uma fatalidade perdi um deles....
Como o que ficou, estava muito triste, resolvi arrumar outro cão para fazer companhia pra ele...
Pensei , relutei , e decidi adotar um outro cão. Surgiu então o dilema adotar um adulto, ou um filhote?? "Claro que optei por um filhote, eles são mais lindinhos, mas fofinho e me amaria muito mais... E eu poderia educa-lo a minha maneira..." Mas por ser filhote, ser lindinho, fofinho e adorável ninguém quer entregar pra adoção né???
Resolvi então pensar na possibilidade, de adotar um adulto... mas a condição que eu fiz foi.. quero que o cão me escolha, se ele quiser vir comigo, será esse que irei adotar...
Em um posto, aqui do grupo, vi um para adoção que lembrava muito o que eu havia perdido.. Resolvi então entrar na fila de interessados para entrevista...depois de umas 2 semanas de conversas, finalmente fui conhecer a kira...E como queria que ela gostasse de mim, é obvio que tentei facilitar as coisas (levei biscoitinhos, puro truque). rrsrsr
Fiquei nem meia hora conversando com kira, ela logo se abriu, sorriu, e com o olhar dela, parecia me paquerar!! E eu me sentindo o espertão só por causa de um biscotinho, mas ela foi muito mas esperta!!! Me olhou, me seduziu e me conquistou...Naquele momento senti que seriamos companheiros... Mas restava saber se ela conquistaria meu outro cão... E não é que a danadinha, seduziu ele tbm!!! srsrs Estão se dando super bem...
Estamos no processo de adaptação ainda, Confesso que pensei que demoraria a sentir o mesmo carinho que eu tinha pelo meu outro cão... Errei feio... Já sinto como se kira morasse comigo desde filhotinha...
E o processo de adaptação?? Os mesmo cuidados que temos com os filhotes... Muito amor, muito carinho, muita paciência... eles aprendem truques novos, comandos novos... demora um pouco igual aos filhotes... Mas tem suas vantagens não fazem coco pela casa nem xixi srsrsrs. Indico sim adotar um cão adulto, mas seja consciente!!! Eles precisam de tanto amor ou até mais que os filhotes... E te retribuem com o amor, companheirismos que só os adultos tem... Estou mega feliz...

RELATO 2  - MARCELO  - PROFESSOR DE ARTES
Existe uma verdade universal incontestável desde que o mundo foi criado, e aposto como você concorda com ela: absolutamente ninguém é igual a ninguém, seja física, emocional ou espiritualmente. Os seres humanos foram criados com características ímpares, únicas, cada qual indispensável para o curso da humanidade. Não é, portanto, sábio e nem justo as pessoas fazerem comparações acerca de seus atributos, opiniões e crenças.E isso acontece com os cachorros e vou compartilhar um pouco da historia .Prazer eu sou Marcelo ,e o que torna um pouco diferente ter nascido com 6 meses, 600 gramas e com paralisia cerebral .Sou formado em educação artística com habilitação em artes plasticas.Minha historia começa na faculdade com um projeto de estagio para entender como a criança se comportaria com algo novo ?.Meu projeto na faculdade teve inicio 2009 ,tive que comprar uma cachorro fêmea da raça Lhasa apso chamada :Candy era uma cachorra de 5 anos comprada em um canil .Minha medica aconselhou a comprar uma cachorra adulta que era melhor para a minha locomoção, que filhote não iria talvez atender minha necessidade conversamos durante um mes até eu aceitar e deu tudo certo fiquei 7 anos com a maior felicidade e com o maior ensinamento da vida Se está preocupado que um cachorro mais velho não vá criar laços com você, não fique. Cães são extremamente resistentes e coração aberto. Alguns superam completamente o passado em questão de dias. Outros podem levar algumas semanas ou meses, e alguns carregarão uma pequena bagagem por ainda mais tempo que isso. Trabalhar com seu cão ajudá-lo a superar os obstáculos necessários para aproveitar a nova vida, pode ser uma experiência incrivelmente gratificante – e o resultado em longo prazo, é uma relação de amor.TENHO 6 CÃES (TODOS JÁ CHEGARAM ADULTOS) QUE VÃO EM VÁRIOS LUGARES COMIGO ,NA ESCOLA ,ASILOS ,PRAÇA ,HOSPITAL .Fazem parte minha vida

RELATO 3 – ESTUDANTE
Na verdade eu prefiro pegar cães adultos, então só criei uma cachorra desde filhote. Sempre acho mais fácil do que com filhotes hahaha.
Tenho uma SRD que veio para minha casa quando eu não planejava ter nenhum outro cão, eu tinha um husky e uma outra SRD e só queria outro cão quando meu husky falecesse, mas vi o anúncio dela para adoção, achei ela linda e fui atrás. Moro com mais 5 pessoas (pais, avós e irmã) e na época só minha mãe sabia que eu tinha decidido ficar com ela, o resto da casa achava que eu tinha trazido ela apenas para tratar da saúde pois ela tinha uma miíase na pata, uns problemas de pele, anemia. Acredito que ela tenha sido a adaptação mais chata entre meus cães pois era muito insegura, se escondia e atacava se alguém ou outro cão chegasse perto. Um mês depois quando ela já estava bem melhor (tanto de saúde quanto de sociabilização) que eu contei que ela iria ficar comigo, mas todo mundo já estava acostumado com a presença dela e ninguém ligou para a notícia haha Hoje ela tem só metade de uma pata (que ela não apoia) e é muito ciumenta com outros cães, tirando a Luna. Quando eu trouxe a Luna, minha chinese, pra casa, essa minha SRD foi a que aceitou melhor ela, se dão muito bem hoje em dia, e a adaptação da Luna foi perfeita, ela se apegou muito a minha mãe, eu e meu avô, e dos outros integrantes da casa ela gosta muito deles quando tem comida na mão hahaha Ela acabou por pegar algumas manias das minhas cachorras, não tinha nenhum tipo de mania que fosse incômodo para mim ou para as outras pessoas da casa. Já tive sete cães, seis deles vieram adultos para mim, e a única que veio filhote foi a que me deu mais dor de cabeça e a que mais tem manias que me incomodam muito hoje em dia (ela tem 8 anos).

RELATO 5 – LETICIA  - CHEFF DE COZINHA
Quando optei por um cão adulto estava buscando um cão com temperamento estabelecido, e que não tivesse que passar pela fase destrutiva de filhotes, tinha uma neném e ela estava me enlouquecendo com roer coisas e necessidades fora do Lugar. E o resultado não poderia ser melhor, em menos de 2 semanas elas estavam mais que adaptadas, se dando bem tanto com os outros animais da casa, quanto as pessoas, uma delas inclusive é o xodó de todos. E eu? Bem, não sei se terei outro filhote novamente depois de ver a quantidade de prós que ha em se adotar um cão adulto.

RELATO 6 – FRED – CABELEIREIRO
Adotamos uma fêmea de shih tzu de seis anos com a saúde já bem debilitada tinha varios nódulos nas mamas e úlcera em um dos olhos ( e só foi descoberto na primeira consulta após a adoção) . Ela foi resgatada de maus tratos era de uma “criadora” na época nos recebíamos alguns cães como lar temporário e tínhamos contato com alguns protetores e foi quando a belinha nos foi oferecida, desde o início a adaptação foi muito fácil pois ela só precisa de cuidados e carinho .. porém foi um pouco difícil educar kkk ela não tinha a menor noção de onde era lugar para comer e fazer as necessidades mas com muito carinho e dicas de amigos conseguimos resolver isso rápido.
Foi questão de tempo para ela virar a estrela e da casa e da família
Depois das cirurgias no olho e a retirada das mamas ela ficou muito mais carinhosa carente
Ficou pouco mais de quatro anos e infelizmente faleceu. Mas em momento algum tivemos arrependidos de ter adotado.

RELATO 7 - LIANA  - ADVOGADA 
dotei dois filhotinhos, irmãos de ninhada, e um ano depois adotei uma cadela já adulta. As experiências foram muito diferentes - todas positivas. 
Desde que chegaram, a adaptação dos filhotes foi tranquila. Eles estavam sempre juntos e nunca pareceram sentir a diferença da casa de onde eles nasceram para a nossa casa. Foram descobrindo a casa aos poucos e destruíram tudo o quanto puderam quando eram bebês; depois de grandes, a onda terrorista passou.
Já a cadela adulta, quando chegou, ficou bem chateada com a mudança. Passou três dias muito triste, e principalmente a noite, para dormir, ela chorava muito e se recusava a deitar com os outros filhotes ou conosco. Depois desse curto período se adaptou super bem, nunca destruiu nada e é nitidamente muito mais apegada aos humanos do que aos cachorros. 
Os três se dão super bem, mas nas brincadeiras que ela fica um pouco à parte, talvez pela diferença de idade. Nunca brigaram.
As principais diferenças na chegada dos pequenos e da adulta foram na adaptação, que foi mais simples com eles (mas que também foi fácil com ela); e, principalmente, em relação a destruição. A fúria de filhotes nos causou um prejuízo grande que a mais velha nunca deu.
 Achei a adaptação adulta super tranquila. Foram só três dias, e mesmo nesses três dias a dificuldade maior dela era de noite. Com os humanos por perto ela sempre ficou super bem. E é mais apegada na gente do que os pequenos. Adotaria adulto de novo com certeza!

RELATO  - ADRIANA –EMPRESÁRIA
Aqui sempre tenho caes adultos. tem uns mais tranquilos e outros mais agitados. ja tive uma bulldogue que cortei um dobrado com ela. ela só atacava homem e mordia no saco. Tive uma dogo argentino de resgate também que me mordeu muito. mas acabou acostumando.
Essas duas vieram de maus tratos, e cães assim não adianta vc medir força , precisa conquistar na confiança ,mas é preciso ter pulso forte.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

RELACIONAMENTO RESPONSÁVEL ENTRE HUMANOS E CÃES


       
Foto: Canil Nobile Cuore 

    A relação do homem com os canídeos remonta da pré história. O cão tornou-se geneticamente distinto do lobo há cerca de 135 mil anos, o que corresponde aproximadamente aos primeiros vestígios do Homo sapiens no registro fóssil. A ação antrópica através da seleção artificial gerou inúmeras variações morfológicas, correspondentes à utilização bastante diversificada observada no cão doméstico na atualidade.
     A maneira como cães e outros animais são vistos pelos seres humanos foi se diferenciando à medida que sua capacidade subjetiva evoluiu e, aos poucos, foi se criando uma nova forma de relacionamento, marcada pela maior proximidade física e vínculos afetivos mais fortes entre as duas espécies.
      O cão vem sendo incorporado como membro da família, o que implica em maior responsabilidade do ser humano com relação a estes, que passam a receber mais atenção e cuidados, tanto fisiológicos quanto emocionais. Na história da humanidade, talvez seja a época atual, devido às características o sujeito contemporâneo, que observamos uma maior dependência significativa emocional entre o homem e animal.
  Infelizmente, apesar da evolução deste relacionamento, muitas vezes ainda se observa uma hierarquia antropocêntrica, herança do pensamento aristotélico de superioridade, que dificulta a aceitação de novos conceitos, impedindo por vezes uma relação mais satisfatória para ambos os lados envolvidos.
 Diversos estudos mostram que os benefícios da relação dos cães com humanos são incomensuráveis,superando incontestavelmente possíveis riscos relacionados a zoonoses frequentemente  enfatizados por pessoas que repetem sem questionar conceitos arcaicos pré-estabelecidos.
   O objetivo do presente artigo é elucidar algumas dúvidas freqüentes sobre possíveis riscos do convívio entre cães e seres humanos em ambientes públicos com maior enfoque sendo dado a presença dos mesmos nas praias.
   A larva migrans cutânea (LMC) ou dermatite serpiginosa, conhecida popularmente como bicho geográfico, é causada pela forma larvar de helmintos da classe Nematoda, mais frequentemente por espécimes do gênero Ancylostoma. As espécies mais comuns são Ancylostoma duodenali (que parasita cães e humanos), A. braziliense (que infecta gatos) e A. caninum (observado em cães e gatos).  Apesar de normalmente apontado como único causador de LMC em praias e praças, o cão não é o único responsável. Além do Ancylostoma, outras espécies também podem ocasionar  a LMC, como por exemplo Bunostomun sp (parasita de bovinos) e o Strongyloides stercoralis (parasita intestinal humano, cosmopolita de alta incidência em crianças). Quando em contato com espécies não evolutivamente adaptadas ao organismo humano, este se torna um hospedeiro acidental. O parasita se desloca pela região subcutânea mas não se desenvolve e nem consegue completar seu ciclo de vida.
   Em cães, o Ancylostoma ocasiona anemia devido á hemorragia intestinal aguda ou  crônica. Ao penetrar na pele, a larva causa reações cutâneas como eczema úmido e ulceração nos locais da infecção percutânea, acometendo principalmente a região interdigital. A doença é mais observada em cães com menos de um ano de idade. Os filhotes também podem se infectar pela via transmamária ou transplancetária se a mãe for portadora desta enfermidade. É uma patogenia bastante debilitante e filhotes muito novos são mais susceptíveis devido às baixas reservas de ferro.
    Apesar de grave, a doença é facilmente tratável e pode ser evitada quando se adota o protocolo de vermifugação periódica. Os parasitas são sensível a grande maioria das drogas endoparasiticidas (vermífugos) disponíveis para venda em pet shops e lojas agropecuárias. Urge ressaltar que um cão vermifugado não elimina ovos nas fezes e que os cães infectados rapidamente apresentar-se-ão sintomáticos, sendo portanto uma enfermidade de fácil diagnóstico e tratamento.
   Uma questão geralmente pouco abordada é a relação parasita/hospedeiro. Em sua grande maioria existe uma especificidade nesta relação que é resultado de um longo processo evolutivo. Como exemplo pode ser citado o carrapato vermelho comum, Rhipicephalus sanguineus, encontrado apenas em canídeos e o Boophilus microplus, parasita exclusivo de bovinos.  Ambos não são capazes de se fixar e se alimentar em primatas (no caso o ser humano), mesmo que vivam no mesmo ambiente.
   De maneira análoga, temos uma ampla gama de helmintos, fungos e protozoários que são específicos da espécie humana, não sendo patológicos para o cão. Deste modo a probabilidade de um humano ser infectado por outro nas vias públicas, praias e parques é infinitamente superior que a de ser acometido por um patógeno oriundo de outra espécie. É importante também lembrar que com a evolução da medicina veterinária já se é possível controlar de forma eficaz problemas outrora graves, como a raiva, a leptospirose e a leishmanionse visceral, através de vacinação preventiva.
    Na sociedade atual o acesso a serviços veterinários e a tratamentos profiláticos vem crescendo exponencialmente. Ao se tornar parte da família existe uma maior conscientização e preocupação com a saúde e higiene dos animais de estimação. Um cão bem cuidado, que recebe acompanhamento veterinário, é vacinado e desparasitado regularmente não oferece risco à saúde humana, incluindo idosos e crianças, muito pelo contrário,
    No cuidado com crianças com câncer, a terapia assistidada com cães em hospitais tem colaborado para melhorar a autoestima, compensar déficits afetivos e estruturais, aumentar a concentração plasmática de endorfinas, melhorando a  qualidade de vida. Estudos revelam que a presença de cães não favorece o aparecimento de infecções oportunistas, mesmo considerando o estado de imunossupressão em que se encontram os pacientes.
    As conclusões obtidas por pesquisadores de diversas áreas de conhecimento corroboram com a afirmativa principal deste manuscrito de que animais saudáveis não oferecem risco à saúde e que a convivência  de cães e pessoas traz uma gama de benefícios sociais e terapêuticos, não havendo portanto razões para que não acompanhem seus proprietários em seus momentos de lazer, em praias, parques e praças.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

COSTA, M.P. ; F. GATO & M.N. RODRIGUES. Utilização de terapia assistida por animais como ferramenta no tratamento de doenças humanas. Revisão. Pubvet Medicina Veterinária e Zootecnia, v12, n.1. p.1-7. 2018.

MORAES, H. S. & M.M. MELLO. A relação do sujeito contemporâneo e o animal doméstico. Anais Mostra de Iniciação Científica Curso de Psicologia da FSG, v1, n.1, p. 124-151. 2014.

MOREIRA, R. L. et al.  Terapia assistida com cães em pediatria oncológica: percepção de pais e enfermeiros. Revista Brasileira de Enfermagem, v.69, n.6, 2016.

NELSON, R. W. & C. G. COUTO. Medicina Interna de Pequenos Animais. Rio de Janeiro, Ed. Elsevier, 2010.

SILVA, D. P. Canis familiaris, aspectos da domesticação (Origem, conceitos, hipóteses). Universidade de Brasília, Monografia de conclusão do Cursode  Agronomia e Medicina Veterinária.  46p. 2011.


quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

NOTICIAS: ERIK OF AVALON LAND

Acabei de receber essas fotos do meu menino Erik que hoje atende pelo nome de Pepê.


Fiquei muito feliz de ver como está bonito e amado.
Erik Pepê é filho a minha neguinha Zafira com meu querido Wasabi.
Muito obrigada Mariana pelas fotos!

sábado, 15 de dezembro de 2018

RAGNAR, RAJ E FAMÍLIA

Não resisti. Sempre dou risadas com essas brincadeiras e quis compartilhar com vocês um pouco mais da rotina e da alegria destas crianças.


Esperam que tenham gostado!

CÃO DE CRISTA CHINÊS- NINHADA R

Que tal se divertir um pouco com a alegria contagiante dessas crianças?


Se gostar entra lá e da um like 👍
É rapidinho 😉
Aproveita e clica no botar |inscrever-se| pra não perder as novidade que estão vindo por aí.

Dúvidas e sugestões manda um zap para 21 999229549


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

VAMOS FALAR DE CHOCOLATE ?



Tudo começou quando Gregor Mendel começou a observar ervilhas e demonstrou que os genes ocorrem em pares, criando conceitos que serviram como base para o desenvolvimento da genética e da compreensão do DNA.

A pelagem dos cães é determinada por diferentes pares de genes, tornando seu estudo um pouco mais complexo e extremamente interessante. Vou tentar explicar passo a passo para facilitar a compreensão desse universo mágico de cores que podemos observar nas mais diferentes raças caninas. Neste post vou me ater basicamente ao genótipo que determina o fenótipo chocolate.

A cor fígado em algumas raças recebe a denominação de chocolate e é ocasionada pelo gene recessivo "b". Por ser recessivo para que o fenótipo ocorra é necessário que esteja em homozigose ou seja "bb" (a presença do gene "B" não permite a expressão da cor fígado).
O gene B afeta somente a eumelanina (pigmento preto), sendo assim para ter a cor fígado, é preciso que se tenha o dupla "b" associado a presença da eumelanina (isso inclui também os merles e os mantados).

Para ser considerado fígado (chocolate) o cão NÃO pode apresentar pelos preto na pelagem! É geneticamente impossível um cão figado apresentar pelos pretos ou cinzas (azul), assim como é impossivel um cão preto ou  cinza possuir marcações figado na pelagem.

O figado não é a diluição de uma cor e sim a forma homozigota recessiva da eumelanina! Este é um ponto importante para que se possa compreender as nuances de marrom existentes.
O termo diluição somente pode ser utilizado quando tem-se a presença do locus D, cujo gene recessivo "d" irá diluir o fígado ou o preto levando as cores conhecidas como isabela, lilac, light chocolate e azul.
Assim como a pelagem, as cores da trufa e dos olhos também serão afetadas por esses mesmos genes. 

O cão fígado (chocolate) pode, entretanto, conter também a feomelanina cuja expressividade irá depender da presença dos locus A e K 



Como o locus "D" afeta de forma diferente a eumelanina e a feomelanina, quando acompanhado do gene At  teremos os cães conhecidos como black and tan e chocolate and tan (exemplo - doberman)

(foto - internet / google)






Se além do At tivermos também a presenta do locus S teremos as pelagens tricolores observadas por exemplo  na raça terrier brasileiro e no cão de crista chinês 

Terrier brasileiro - pelagem tricolor 
(Foto Thayana Andrade - Canil Jardim Imbuí)


Cão de Crista Chinês 
(Foto; M. Baptista)


Algumas vezes a feomelanina é confundida com a eumelanina levando a erros na classificação e denominação das pelagens principalmente em raças onde uma ampla variedade de cores é aceita.
Dependendo da forma como se expresse a feomelanina pode acarretar um tom castanho que lembra a cor fígado. Este "falso chocolate" terá trufa  preta, olhos predominantemente escuros e pode ou não apresentar pelos pretos na forma de patch ou nas pontas (locus A - alelos Ay / sable )


Spitz Alemão (Pomerânia) - repare na  mudança na cor do filhote para o adulto 
Foto: Rafael Pina - Canil Life Kingdom


Cão de Crista Chinês - pelagem vermelho sable 
(Foto: M. Baptista)


Em algumas raças a cor fígado é chamada de vermelho. Isto, do ponto de vista genético, é incorreto e faz com que muitos confundam o vermelho escuro com o fígado. Vale ressaltar que o vermelho se origina a partir da feomelanina e o fígado (chocolate) a partir da eumelanina, logo são cores completamente distintas do ponto de vista genotípico.

Repare nas duas fotos abaixo. Ambos os cães apresentam tan points (são tricolors) e se olhar rapidamente pode parecer que ambos são da mesma cor. Entretanto, se olhar com atenção ira perceber que o Aussie apresenta trufa da mesma cor da pelagem e tem um tom mais uniforme, enquanto que o chinese tem nuances mais escuros e trufa preta. O primeiro é um cão de pelagem fígado verdadeira ("bb"), enquanto o segundo apresenta cor derivada da expressão da feomelanina.


No caso da feomelanina temos alguns outros locus interferindo (locus A, K e E)  mas vamos deixar essa conversar para um proximo post. 

quarta-feira, 14 de março de 2018

RANGELIOSE CANINA




A Rangelia vitalli é um protozoário que causa em cães a rangeliose, doença descrita somente no Brasil, com distribuição possivelmente mais alta que a descrita em literatura. Afeta principalmente animais jovens, podendo incomumente acometer cães adultos, que vivem em áreas rurais ou periurbanas. Tal doença é transmitida por carrapatos da espécie Amblyoma aureolatum e Rhipicephalus sanguineus.    
     
Normalmente, os animais infectados podem apresentar os seguintes sinais clínicos: icterícia, febre intermitente, apatia, anorexia, fraqueza, desidratação, emagrecimento, hepato e esplenomegalia, linfoadenomegalia, petéquias, hematêmese, sangramento em narinas e diarreia sanguinolenta. A doença tem evolução de dias até 3 meses, dependo do estágio da doença, que pode ser aguda (ictérica), subaguda (hemorrágica) ou crônica. A sobreposição dessas fases já foi descrita em literatura.

Os parasitos são encontrados no interior de eritrócitos, neutrófilos e monócitos. Os achados laboratoriais são anemia macrocítica hipocrômica, resultado da lise dos eritrócitos afetados, mas pode ocorrer anemia normocítica normocrômica. Se houver tempo adequado para a resposta medular, a anemia encontrada é do tipo regenerativa. Baseado nisso, em esfregaço sanguíneo pode-se observar anisocitose, policromasia, metarrubricitemia e Corpúsculos de Howell-Jolly. Também podem ser observados esferócitos e aglutinação eritrocitária. A leucocitose pode estar ou não presente e a trombocitopenia pode variar de leve a moderada. Os achados de bioquímica sérica são inespecíficos, podendo as enzimas hepáticas estarem aumentadas em decorrência do processo inflamatório, além do aumento de bilirrubinas em decorrência da lise eritrocitária que pode ocorrer em casos mais graves da doença. A urina pode apresentar-se escurecida devido a presença de urobilinogênio e bilirrubinas excretadas.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico é feito através de PCR de sangue total em EDTA, medula óssea em EDTA e material de linfonodo. A coleta de sangue periférico de ponta de orelha ou cauda aumenta a chance de detecção do DNA do patógeno. Outros métodos para auxílio diagnóstico consideram esfregaço de ponta de orelha para pesquisa direta, punção aspirativa por agulha fina de linfonodos e pesquisa em medula óssea.

Essa doença pode ser confundida com outras enfermidades, devido à similaridade de sinais clínicos. O diagnóstico diferencial deve incluir: babesiose, ehrlichiose, leishmaniose, leptospirose, verminoses intestinais e outras doenças que cursem com anemia, icterícia, febre, hepato/esplenomegalia e hemorragias.

Se o paciente não for tratado a tempo, pode evoluir a óbito. Os cães que se recuperam adquirem imunidade contra o parasito.



 Fonte: informativos TECSA 

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

RETROSPECTIVA 2017

Todo início de ano gosto de parar para avaliar meus erros e acertos, pensar no que foi feito e estipular metas para o ano que está começando.

O ano de 2017 começou complicado para mim. Problemas familiares, eu tive alguns problemas de saúde, descobri q minha westie velhinha havia desenvolvido diabetes, meu dálmata velhinho teve um AVC e com ele uma série de complicações. Minha vida parou. Foi uma luta árdua mas apesar de todos os recursos e esforços ele hoje está correndo no céu, não há mais dor nem sofrimento. Apenas saudades. Não me arrependo de todas as noites em claro e nem de todo dinheiro gasto para que meu menino tivesse um pouco de qualidade de vida e recebesse de volta todo amor que sempre me dedicou. Faria tudo novamente.

Só consegui entrar em pista na metade do ano e não tive tempo de fazer a campanha que havia planejado. Mas apesar das dificuldades tenho muito a agradecer pelas conquistas realizadas.




DOROTHEA OF AVALON LAND - fez sua estreia nas exposições em grande estilo nas mãos do handler e amigo Adrian Fernandez
Foi Campeã Brasileira, Campeã Panamericana e faltou muito pouco pra fecharmos o grande campeonato.


ANGEL OF AVALON LAND - fez um breve retorno às pistas para fechar o.campeonato internacional



CECÍLIA OF AVALON LAND - participou de poucas exposições mas fechou os títulos de Campeã Brasileira e Campeã Panamericana
















IANA OF AVALON LAND - entrou como jovem e conseguiu o.titulo de Jovem Campeã Brasileira. Agora e se preparar para a classe adulta.



KHALLESI OF AVALON LAND - entrou meio tímida na primeira pista. Era sua primeira exposição e sua primeira vez num local com tantas pessoas e tantos cães. Contudo fez todos os comandos dados pelos juízes perfeitamente e não só conquistou o titulo de Campeã Filhote como ainda ganhou como melhor da raça no meio de cães muito mais experientes me enchendo de orgulho e alegria.









Além dos títulos conquistados ainda tivemos a chance de mostrar a beleza e o excelente temperamento dos nossos cães  através da parceria AValon Land Kennel e a Pet Arte Animais :Atores. 

Mais uma vez eu gostaria de deixar meu obrigado a todos q me apoiaram de alguma forma e aos juízes que reconheceram as qualidade das minhas "crianças".
Muito obrigada Adrian Fernandes, Caio FreitasViviane Lins Nobile CuoreRafael Pina Fatima BaptistaFlavia SchelederLorena Buntemeyer e Catia Leony por todo apoio logistico e emocional nas horas de desespero.

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

DIGA SIM A CASTRAÇÃO DE CÃES PET


Este mês tive algumas notícias muito tristes que chegaram a fazer eu pensar em desistir. 
Por mais que  você  selecione e tente acompanhar nunca conseguirá estar presente o tempo  todo  nem adivinhar o q passa na mente de algumas pessoas. Já deixei de fazer muitas vendas por achar q a pessoa não iria cuidar mas já tive experiências ruins. Já peguei muitos cães de volta por motivos variados. Na grande maioria das vezes o tutor me procurou com desculpas do tipo 
"Ele rasgou meu sofa" 
"Ele estragou o jardim " 
"Descobri que dá muito trabalho " 
"A ração está muito cara"
Confesso que fico um pouco triste pois tudo isso é explicado antes da compra mas não os condeno pois pelo menos não abandonaram, maltrataram ou como já tive o desprazer de ver num plantão pediram pra sacrificar porque não tinham tempo (obviamente me recusei e comuniquei ao administrador  da clínica).
Ao me devolverem tenho a chance de procurar um bom lar ou eu mesma cuidar. 

Já usaram um laranja pra comprar um cão meu que descobri em seguida na mão de um cachorreiro ao qual havia negado a venda.
Nestes 17 anos de criação cada problema q encontrei procurei contornar da melhor forma possivel. 
Meu contrato de venda foi crescendo e se aprimorando a medida que descobria brechas que deixavam o animal desprotegido de malucos. 

Talvez para aqueles que estão iniciando neste mundo seja difícil dimensionar o quão difícil é controlar todos os cães que vende e compreender a importância do que estou tentando explicar.

Quando anunciei que passaria a entregar meus filhotes castrados fui aplaudida por alguns mas condenada por outros. 

Fui questionada por nem todos os meus cães terem feito exames de DNA. Concordo que a ciência avançou muito e que pode nos auxiliar na prevenção de várias doenças hereditárias. Por que então não gasto meu dinheiro fazendo exames ao invés de gastar com castração? 
Não sou contra em nenhum momento a realização dos testes. Tenho intenção de aos poucos ir testando todos pois são exames caros e não disponho de uma quantia que permita fazer todos juntos.
Mas achar que a castração é menos importante eu discordo. 
Ao conhecer a linhagem de seus cães consegue -se ter uma boa noção de se um cruzamento pode ou não ser realizado. Um estudo genealógico permite que você preveja muitas coisas 
Mas talvez isso seja trabalhoso demais e é mais fácil não estudar e pagar a um laboratório pra testar e pronto. 

Aí eu questiono. 
Que adianta ter mil exames comprovando a saúde do seu cão e entrega-lo sem castrar para q saia cruzando com qualquer outro que i proprietário ache simpático (mesmo que não sejam da mesma raça) ? 
Até que ponto um contrato super bem elaborado te dará garantia que esse animal não será explorado ou cruzado indevidamente ? 

Seleção genética e extremamente importante sim mas a castração de cães pet deveria ser obrigatória.
Enquanto os criadores que se dizem cinofilos sérios não se unirem cada vez mais haverão cachorreiros explorando seus cães e alimentando um comércio cruel e uma fábrica de tortura.

A castração pediátrica no macho pode ser feita a partir dos 2 meses e das fêmeas aos 4 meses. Entregar um.filhote aos 4 meses já com todas as vacinas e castrado a meu ver demonstra amor por esses cães e acima de tudo é sinônimo de responsabilidade!! 

Fica aqui a minha opinião  e um apelo aos criadores. Animal não é brinquedo e reprodução é algo muito sério. Não venda animais sem castrar. Juntos podemos acabar com o comércio de aberrações e com a exploração desumana de muitos. 



quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

REFLEXÕES DE UMA CINÓFILA


Fico observando calada as discussões e comentários feitos na internet por alguns criadores. É interessante como todos se tornam expert em cinofilia quando estão por trás da tela de um computador.
Pessoas que começaram ontem mas já se acham cinófilos experiente e donos da verdade, e sentem no direito de ofender e oprimir aqueles que vem em busca de informação. Acho isso lamentável.
Muito se fala na preservação da raça A ou B ou C mas poucos realmente eu vejo tomando atitudes concretas que visem seu melhoramento e sua preservação.
Não quero citar raças e nem nomes pois acho desnecessário. Aqueles aos quais me refiro saberão do que estou falando.

Vamos começar citando as chamadas cruzas caseiras. Um pessoa vai e compra um filhotinho lindo. O filhote cresce e essa pessoa acha que cachorro é humano e precisa namorar então arruma um(a) companheiro(a) para ter bebezinhos em casa. É claro que essa pessoa sempre vai dizer que não tem nenhum interesse comercial, isso é coisa de canis que exploram cachorros, a cachorrinha dela  vai ter só uma ninhadinha para que ela possa ter uma filhotinha da sua amada cachorrinha e pra cadelinha satisfazer seu prazer pessoal de ser mãe. Logicamente que essa pessoa não tem nenhum conhecimento nem da raça que possui e muito menos de genética ou comportamento animal ou não falaria tal atrocidades.

Vamos voltar agora aos tais cinófilos e defensores da raça.
Será que não seria mais fácil vender os cães já devidamente castrados ao invés de ficar depois reclamando que as pessoas não castram e cruzam sem critério?

Vejo criadores andando de nariz em pé,  colocando seus cães em pista, e ainda clamando aos quatro ventos as qualidades e a superioridade de seu canil e vendendo cães com olhos azuis, com cores não aceitas pelos padrões, com doenças genéticas, etc e achando isso totalmente normal. Pra mim o nome disso é DESONESTIDADE e HIPOCRISIA

Se um cão por algum motivo nasce com algum problema ele deverá ser CASTRADO e DOADO! Isso se chama ÉTICA  e PROFISSIONALISMO.

Se todos os criadores que se consideram sérios e auto denominam cinófilos entregarem todos os seus filhotes castrados não haverão tantos cruzamentos indesejados, tantos canis "fundiquintal" e nem tanta gente procurando namorado(a) pro seu pet.




terça-feira, 19 de dezembro de 2017

DEBATE RADIO CBN



Debate realizado hoje com a secretaria de Saúde Pública do Rio de Janeiro, Médica Veterinária Márcia Borim.
Pra quem não teve a oportunidade de escutar segue o link.


Obrigada a rádio CBN pela oportunidade de expor nossa proposta ea todo grupo organizador do movimento #vaitercachorronapraiasim por confiarem em mim na execução desta tarefa.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

CACHORRO X SAÚDE PÚBLICA

foto: internet - autor desconhecido


Recentemente foi publicada uma matéria no Jornal O Globo on line falando sobre a campanha que vem sendo feita na internet, principalmente nas redes sociais, para que sejam liberadas faixas de areia onde seja permitida a presença de cães.
Na matéria eles citam  alguns aspectos sobre os quais gostaria de de fazer alguns esclarecimentos.

Bem, primeiramente gostaria de informar que ao contrário do que foi dito as fezes de mamíferos (isso inclui humanos, cães, gatos, cabras, etc) tem aspecto característico e são sólidas ao contrário do que se observa em aves e répteis. Deste modo, um cão, saudável apresentará fezes firmes e fáceis de serem retiradas de qualquer ambiente. Nos humanos estas apesar de igualmente sólidas não apresentam normalmente uma textura tão firme. O mesmo vale no que se refere a urina - um animal saudável apresenta urina estéril mas ao passar pela vagina ou região prepucial pode ser contaminada por bactérias que estão normalmente presentes na nossa pele e que em condições normais não apresentam risco a saúde.

Complementando eu gostaria de colocar alguns pontos que não foram citados que acredito que sejam relevantes para um melhor entendimento sobre o tema abordado.
Quando se trata de organismos parasitas e patógenos em geral deve se ter em mente que na sua grande maioria existe algo chamado especificidade - ou seja, o vírus que causa por exemplo uma diarreia no cão, é diferente do que causa a mesma doença no gato e por sua vez também é diferente do que a causa no homem.  Quando um patógeno consegue infectar uma outra espécie alem do ser humano chamamos isso de zoonose (o termo vale tanto para doenças transmitidas do animal para o homem como as que o homem pode transmitir ao animal).
Por serem relevantes para saúde pública (me refiro apenas ao ser humano neste momento), tais zoonoses são tratadas pela OMS com um rigor muito maior do que as doenças que são espécie- especificas. Como exemplo de zoonoses posso citar a leptospirose, a raiva e a leishmaniose. Felizmente nos 3 casos é possivel se evitar o problema com vacinação preventiva voltando ao ponto de que um cão que se encontre vacinado e vermifugado não oferecerá risco a saúde humana.
Voltando a questão da especificidade: a probabilidade de um cão contrair uma doença de outro cão é 1000 vezes maior que a de contrair de um gato ou de um primata. De modo similar, a chance de uma criança contrair uma doença de pele de uma pessoa doente que esteve deitada na areia ou sentada na cadeira onde ela irá sentar é infinitamente maior que a chance dela contrair uma doença de pele de um cão.

O maior risco encontrado nas areias das praias cariocas são os resíduos deixados pelo próprio homem que acha natural urinar e defecar na areia e na água do mar, que larga resto de alimentos, cigarro e embalagens, e as fezes deixadas por animais periurbanos como gatos ferais, cães errantes ou de mendingos (que não recebem nenhum tipo de cuidado veterinário), pombos e ratos (que são atraídos pelo lixo deixado pelo próprio homem no local).

Com base nas informações supracitadas acredito que a presença de cães que recebem acompanhamento veterinário, são cuidados e estão acompanhados dos seus respectivos tutores não são uma ameaça a saúde nem adultos nem de crianças.

Dra Márcia Baptista
Médica Veterinária / Bióloga  / Doutora em Ecologia

#vaitercachorronapraiasim
#juntossomosmaisfortes

terça-feira, 21 de novembro de 2017

CÃES NA PRAIA - VOCÊ É A FAVOR OU CONTRA?


O Jornal O Globo junto com a reportagem que publicaram sobre a campanha, fizeram um enquete para saber a opinião da população sobre o tema.
O resultado mostra que a grande maioria hoje tem consciência que cachorro vacinado e vermifugado não apresenta risco a saúde humana


#vaitercachorronapraiasim
#jornaloglobo
#juntossomosmaisfortes



sábado, 18 de novembro de 2017

REPORTAGEM JORNAL O GLOBO ON LINE



Reportagem publicada pelo Jornal o Globo on line sobre o movimento #vaitercachorronapraiasim 
Link completo para a reportagem https://oglobo.globo.com/rio/donos-de-caes-se-mobilizam-nas-redes-sociais-para-que-animais-possam-ir-legalmente-as-praias-do-rio-22050854

domingo, 8 de outubro de 2017

VYSERION E VANILLA FLOWER





Esta duplinha simpática são  o Vyserion e a Flor (Vanilla Flower), estão com 2 meses e são filhos da Pep e do Theo. Impossível ficar vendo essas crianças brincando e não sorrir. Definitivamente eu amo pintas kkkkk









Tia Giulia, como sempre. paciente e amorosa, foi eleita a babá do dia. 




quarta-feira, 4 de outubro de 2017

SÃO FRANCISCO DE ASSIS


Onde houver ódio que eu leve o amor
Onde houver ofensa que eu leve o perdão
Onde houver discórdia que eu leve a união
Onde houver dúvidas que eu leve a fé
Onde houver erro que eu leve a  verdade
Onde houver desespero que eu leve a esperança
Onde houver tristeza que eu leve alegria
Onde houver trevas que eu leva a luz !

domingo, 3 de setembro de 2017

WESTIES



Depois de tanto tempo afastada destes branquelos a saudade bateu mais forte e aqui estamos nós de novo.
Em parceria com o canil Skellig estamos disponibilizando dois lindos bebezinhos de westies, filhos da Lady e do Cauê.
Interessados favor entrar em contato pelo telefone/ zap 21 999229549

terça-feira, 29 de agosto de 2017

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

CACHORRO NA PRAIA : SIM OU NÃO ?




Recentemente fui questionada sobre a minha opinião a respeito de cães poderem passear na praia.
Minha resposta imediata foi : confio mais em cães que em seres humanos.


Nunca vi um cão deixar guimbas de cigarro na praia, esses restos de produtos químicos são levados para água e contaminam a água além de prejudicarem os animais marinhos.
Nunca vi um cão largar latas de cerveja e refrigerante na areia, pratos e copos plásticos, sacolas de mercado e duzias de objetos não biodegradáveis que contribuem para a destruição do ecossistema, contaminam a água, interferem na produção de algas, desestabilizam o ecossistema, provocam a morte de peixes, crustáceos e corais.
Nunca vi um cão montar uma fogueira para fazer um churrasquinho em áreas de proteção ambiental, destruindo a vegetação, poluindo a areia e água.
Nunca vi um cão matar peixes litorâneos e crustáceos por diversão para mostrar as suas crianças como os bichinhos são e colaborarem para formação de futuros assassinos.



Ah, mas o cão faz xixi na água. Quem nunca fez o mesmo ?
Cães podem defecar no local mas já vi várias crianças fazerem o mesmo e os pais acharem engraçadinho.

Se o problema é contaminação ambiental acho que deveriam proibir os seres humanos de irem a praia pois eles contribuem muito mais para sua destruição que um cão!

E o problema da Dirofilariose ?
O cão não precisa ir a praia para se contaminar. A Dirofilaria é transmitida por mosquitos (os mesmos que transmitem a dengue, a zica e a chicungunha)  e sou capaz de de imediato citar uns 20 casos recentes da doença de animais que nunca foram a praia. A doença está em todo o Estado do Rio de Janeiro e são comuns casos e outras cidades litorâneas brasileiras. Existem formas de se precaver que devem ser tomadas frequente a praia ou não. Em resumo, não ir a praia não o deixará mais seguro.

Mas não é perigoso para o cão no verão devido ao calor?
No verão, cuidados com a hidratação e o excesso de calor devem ser tomados independente do local, Um cão passeando no calçadão a beira mar também pode desidratar (não é preciso colocar as patinhas na areia para que isso ocorra).

Alguns aspectos entretanto eu concordo
- cães não devem ser conduzidos por crianças
- a guia deve ser utilizada especialmente em cães de grande porte
- deve-se evitar os horários mais cheios pois os cães não merecem ter que aguentar a presença de alguns pessoas chatas e mau humoradas
- os proprietários devem recolher as fezes com um saco plastico e jogá-las em uma lixeira.

E se a idéia da prefeitura é que deve haver fiscalização  eu acho ótimo, quem sabe assim não comecem a multar todos os humanos que se dizem racionais mais que só sabem espalhar lixo e são muito menos educados que os cães que já tive o prazer de conhecer nas praias.

#vaitercachorronapraiasim  #juntossomosmaisfortes #mexeucomummexeucomtodos

domingo, 30 de julho de 2017

PENELOPE


Hoje é seu dia de comemorar !
Parabéns minha menina maluquinha e obrigada por tornar minha vida mais alegre nestes seus 4 aninhos de vida!
FELIZ ANIVERSÁRIO PEP !!!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

FILHOTES, FILHOTES E MAIS FILHOTES


A nossa menina Penélope ontem resolveu se superar e bateu o novo record do canil rsrs.
Como ela me ouviu dizer que esta será provavelmente nossa última ninhada de dálmatas ela resolveu encerrar com chave de ouro e pariu 15 ratinhos brancos (ops dalmatinhas, rsrs) lindos.
Ela e o papai Théo capricharam, nenhum com patch !
A mamãe apesar de um pouco cansada depois de um parto longo, passa bem. Em breve volto com notícias e fotos das crianças.

Informações sobre filhotes ligue ou mande um zap para 21 99922 9549

segunda-feira, 17 de julho de 2017

FILHOTES DE DÁLMATA


A cegonha mandou avisar que logo logo teremos novos pintados chegando por aqui.
Penélope não está um gordinha charmosa ?
Quantos bebês vocês acham que irão nascer ? Em breve voltarei dando notícias das crianças e trazendo fotos.

sábado, 15 de julho de 2017

FILHOTES DE CÃO DE CRISTA CHINÊS

Brincadeiras
Filhotes com 3 meses - Klaus, Lancelot, Louis e Lakshimi
mais informações ligue ou mande um zap (21) 99922 9549

quinta-feira, 13 de julho de 2017

CASTRAÇÃO PEDIÁTRICA


Cada vez mais os cães vem ganhando status de "membro da família" e passam a ter uma maior convivência com seus donos dentro de casa, ao invés de ficarem apenas no quintal.
A despeito da antropormofização infringida a espécie,  alguns comportamentos instintivos, inerentes a espécie continuam presentes e é de extrema importância que os "humanos" consigam compreende-los melhor.
Um exemplo de comportamento instintivo é o de "demarcação de território". Na natureza os líderes de matilha (denominados de "alphas" são responsáveis pela delimitação do território ou seja, da área que será ocupada pela sua matilha. Tal tarefa é executada urinando em diversos pontos para deixar "seu  cheiro" e avisar a possíveis intrusos que o local já tem dono. Deste modo, se houver mais de um cão ocupando o mesmo território (neste caso a mesma residência) uma disputa pela liderança ocorrerá naturalmente. Ao contrário do que se pensa, num local com muitas fêmeas é possivel que uma delas assuma tal papel.
Como tais comportamentos são influenciados pelos hormônios sexuais é esperado que só comecem a se manifestar na "adolescência". Muitos cães conseguem controlar seus instintos através de técnicas de adestramento e condicionamento, todavia a forma mais eficaz é pela orquiectomia precoce.

Vantagens da castração pediátrica 
- filhotes se recuperam da anestesia muito mais rápido que cães adultos e tem uma cicatrização igualmente mais acelerada.
-fêmeas castradas antes do primeiro cio tem 98% menos chances de desenvolverem tumores de mama
- filhotes podem ser castrados através de técnica minimamente invasiva a partir de 3 meses de idade (eu particularmente recomendo que o procedimento seja feito aos 4 apos completar o esquema vacinal).
- a castração evita cruzamentos indesejáveis e reduz o abandono
- reduz as chances de morte acidental por fugas para acasalamento (muitos animais morrem atropelados ou envenenados ao fugirem de casa para tentarem "cruzar"- principalmente macho).
- o macho não desenvolve o hábito de marcação de território e aprende muito mais rapidamente o local correto de urinar.
- machos castrados são sofrem de ansiedade quando perto de uma fêmea no cio, não tentam montar nas pernas das pessoas, são mais alegres, sociáveis  e tem menos distúrbios comportamentais.
- reduz em 90% as chances de tumores de próstata nos machos
- fêmeas não castrada podem desenvolver piometrite após o cio, independente de já terem ou não sido mães. A idéia de que toda fêmea precisa cruzar apenas uma vez é mito, é um conceito errôneo pois a gravidez não reduz as chances de problemas uterinos ou de tumores mamários. Para saber mais sobre a piometrite leia http://canilavalonland.blogspot.com.br/search?q=piometra




sábado, 3 de junho de 2017

COMO DEUS CRIOU OS CHINESES


Como Deus criou um chinese:
Um dia Deus decidiu que iria criar algo diferente. Um ser inteligente, carinhoso e divertido.
Ele achava que os  cães são ótimos companheiros e que são extremanente úteis pois ajudam os humanos a aprender o valor da amizade e do amor mas o charme, imponência, elegância e a forma mais que especial de amar dos felinos o encantava.
Pegou então 50% de cão + 30% gato e colocou 20% de suricata pra dar um ar mais divertido.
Assim foi criado o cão de crista chinês.
Um ser elegante, charmoso, engraçado e super companheiro que faz todos que  os conhecem simplesmente se apaixonarem.