.

.
Dálmatas e Chinese Crested Dog

quinta-feira, 13 de julho de 2017

CASTRAÇÃO PEDIÁTRICA


Cada vez mais os cães vem ganhando status de "membro da família" e passam a ter uma maior convivência com seus donos dentro de casa, ao invés de ficarem apenas no quintal.
A despeito da antropormofização infringida a espécie,  alguns comportamentos instintivos, inerentes a espécie continuam presentes e é de extrema importância que os "humanos" consigam compreende-los melhor.
Um exemplo de comportamento instintivo é o de "demarcação de território". Na natureza os líderes de matilha (denominados de "alphas" são responsáveis pela delimitação do território ou seja, da área que será ocupada pela sua matilha. Tal tarefa é executada urinando em diversos pontos para deixar "seu  cheiro" e avisar a possíveis intrusos que o local já tem dono. Deste modo, se houver mais de um cão ocupando o mesmo território (neste caso a mesma residência) uma disputa pela liderança ocorrerá naturalmente. Ao contrário do que se pensa, num local com muitas fêmeas é possivel que uma delas assuma tal papel.
Como tais comportamentos são influenciados pelos hormônios sexuais é esperado que só comecem a se manifestar na "adolescência". Muitos cães conseguem controlar seus instintos através de técnicas de adestramento e condicionamento, todavia a forma mais eficaz é pela orquiectomia precoce.

Vantagens da castração pediátrica 
- filhotes se recuperam da anestesia muito mais rápido que cães adultos e tem uma cicatrização igualmente mais acelerada.
-fêmeas castradas antes do primeiro cio tem 98% menos chances de desenvolverem tumores de mama
- filhotes podem ser castrados através de técnica minimamente invasiva a partir de 3 meses de idade (eu particularmente recomendo que o procedimento seja feito aos 4 apos completar o esquema vacinal).
- a castração evita cruzamentos indesejáveis e reduz o abandono
- reduz as chances de morte acidental por fugas para acasalamento (muitos animais morrem atropelados ou envenenados ao fugirem de casa para tentarem "cruzar"- principalmente macho).
- o macho não desenvolve o hábito de marcação de território e aprende muito mais rapidamente o local correto de urinar.
- machos castrados são sofrem de ansiedade quando perto de uma fêmea no cio, não tentam montar nas pernas das pessoas, são mais alegres, sociáveis  e tem menos distúrbios comportamentais.
- reduz em 90% as chances de tumores de próstata nos machos
- fêmeas não castrada podem desenvolver piometrite após o cio, independente de já terem ou não sido mães. A idéia de que toda fêmea precisa cruzar apenas uma vez é mito, é um conceito errôneo pois a gravidez não reduz as chances de problemas uterinos ou de tumores mamários. Para saber mais sobre a piometrite leia http://canilavalonland.blogspot.com.br/search?q=piometra




Nenhum comentário:

Postar um comentário